Demissão após a maternidade: “Não cometi nenhum erro. Eu só gerei uma vida”

Pesquisa aponta que metade das mulheres que engravidam perdem o emprego até dois anos depois da licença-maternidade.

"Ana Carolina Gaspar, de 34 anos, tinha um cargo de gerência em uma multinacional do setor de varejo quando engravidou de Júlia. Estava havia tempo suficiente na empresa para perceber alguns sinais do machismo cotidiano, como ter que levar água e café para o chefe, a pedido dele, que acreditava que a única mulher da equipe era quem deveria desempenhar a função, conta ela. Mas, logo na primeira dificuldade da gestação, ela afirma ter percebido que a situação de desigualdade na empresa era mais grave do que imaginava. Assim como muitas mulheres que engravidam, passou a ser apartada das funções e a sentir-se assediada, diz."

Para ver a notícia na íntegra clique aqui

Please publish modules in offcanvas position.